AdiSeg

10 PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O SEGURO DE VIDA

1. QUAL A DIFERENÇA ENTRE SEGURO DE VIDA E SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS?

       Em linhas gerais, o Seguro de Vida é mais abrangente que o Seguro de Acidentes Pessoais. Enquanto esse cobre  apenas os casos de morte ou invalidez causados acidentalmente, o outro oferece indenizações mediante a morte natural ou acidental. Ele só será usufruído pelo próprio segurado, em caso de invalidez total, parcial ou permanente,desde que este tipo de cobertura faça parte das cláusulas da apólice.

2. SE NINGUÉM FOR INDICADO COMO BENEFICIÁRIO NA APÓLICE, O QUE ACONTECE?

Em situações como essa metade do valor da indenização fica com o cônjuge do segurado – se ele for casado, claro – e a outra metade com seus filhos. Isso só não conteve quando o seguro é contratado como garantia de pagamento de um empréstimo ou financiamento. Nesse caso, o pagamento da indenização é realizado para o banco ou financeira.

3. SÓ FAMILIARES PODEM SER BENEFICIÁRIOS DO SEGURO DE VIDA?

Não. O contratante pode nomear quem quiser como beneficiário da indenização, seja ou não essa pessoa da família.

4. É POSSÍVEL ALTERAR OS BENEFICIÁRIOS DURANTE A VIGÊNCIA DO CONTRATO?

Sim, mas a alteração dos beneficiários, escolhidos na contratação, só pode acontecer mediantesolicitação feita por escrito e pelo próprio segurado.

5. EXISTE UM LIMITE DE IDADE PARA FAZER UM SEGURO DE VIDA?

Sim. A idade mínima é 14 anos e a máxima é definida de acordo com cada seguradora. Mas, geralmente, varia entre 60 e 65 anos.

6. CASO O BENEFICIÁRIO INDICADO RECUSE RECEBER A INDENIZAÇÃO, QUEM PODE RECEBÊ-LA?

O beneficiário que não quer receber o dinheiro deve indicar expressamente uma pessoa no seu lugar. Caso isso não aconteça, então, a indenização vai para o cônjuge e para os herdeiros do segurado.

7. O QUE FAZER MEDIANTE À OCORRÊNCIA DE SINISTRO DO SEGURO DE VIDA?

O segurado ou os seus beneficiários devem entrar em contato com a seguradora o quanto antes, enviando-lhe um formulário de aviso de sinistro ou uma carta registrada.

8. AO LONGO DA VIGÊNCIA DO CONTRATO, HÁ ALGUMA ATUALIZAÇÃO DO CAPITAL SEGURADO E DO PRÊMIO?

O Seguro de Vida com vigência superior a um ano tem sim uma cláusula de atualização anual de valores, que é feita com base no índice de preços estabelecido no contrato. Para coberturas de risco com pagamento único ou anual do prêmio, o valor da indenização deve ser atualizado conforme o índice de preços acordado, até a data do evento gerador. Em vez de atualizar pelo índice de preços os valores dos planos coletivos estruturados no regime financeiro de repartição, pode ser adotada cláusula de recálculo de capital segurado, baseado em um indicador econômico objetivo, tais como variação salarial e mensalidade escolar. Esta cláusula deve constar nas condições gerais da apólice e do certificado individual, assim como nas propostas e no contrato.

9. O VALOR DO PRÊMIO SEMPRE AUMENTA NA MESMA PROPORÇÃO DO VALOR DO CAPITAL SEGURADO?

Não. O valor do prêmio do seguro é calculado pela fórmula: Prêmio = Valor da indenização (capital segurado) x Taxa (que leva em conta a probabilidade de ocorrência do evento coberto na apólice). Além disso, considera-se que a probabilidade de ocorrência de morte aumenta com o avanço da idade do segurado. Fora isso, o valor do prêmio sobe toda vez que há elevação do capital segurado e/ou da taxa. Dessa maneira, o aumento do capital segurado não se dá necessariamente na mesma proporção ou periodicidade do reajuste do prêmio.

10. PARA FAZER UM FINANCIAMENTO É PRECISO CONTRATAR UM SEGURO DE VIDA?

De modo algum. Seguros associados a outros produtos ou que servem de condição para um financiamento estão dentro do que se chama “venda casada”, um tipo de comercialização claramente proibida pelo Código de Defesa do Consumidor.

Mais alguma dúvida? Para entender ainda melhor o assunto e encontrar as melhores soluções para o seu caso entre em contato conosco. Esta é a melhor hora para pensar no seu Seguro de Vida!